14 de março de 2016

LEI 135, EM MENOS DE 3 ANOS DE SUA EDIÇÃO, JÁ TRAZ SÉRIOS EFEITOS COLATERAIS SALARIAIS.


Caros leitores, bem antes da edição da lei municipal 135 no rio de janeiro, nós os subinspetores apontamos umas das graves distorções salariais carreadas por esta lei. O comando da Instituição reconheceu o erro apalavrou resolver, e nada fez até hoje.


A PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO RESOLVEU INOVAR E FEZ PARA A GUARDA MUNICIPAL UM PLANO DE CARREIRA EM Y, LÁ PELOS IDOS DE 2014 .

CARAMBA, MUITO LEGAL!!  DE UM LADO O SOFRIDO GM TENDO DE TEMPOS EM TEMPOS UM AUMENTO SALARIAL, SEM PRECISAR SE ENVOLVER COM AS RESPONSABILIDADES DE CONDUZIR FUNÇÕES DE COMANDO, E SEM A BATERIA DE PROVAS .

DO OUTRO LADO UM GRUPO QUE FOI ENQUADRADO NO QUE JÁ ERÁ OU JA EXERCIA, TENDO A RESPONSABILIDADE DE CONTROLAR, FISCALIZAR, RESPONDER POR COMANDO DE UNIDADES E OPERAÇÕES E TENDO QUE PARA GALGAR MELHORIAS FINANCEIRAS, SE SUBMETER A PROVAS DE TÍTULOS, AVALIAÇÕES PROVAS E ETC.

COISA DE PRIMEIRO MUNDO E DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DE NOVOS CONCEITOS.

MAS SÓ DE OLHAR A PORCENTAGEM DAS DISTÂNCIAS SALARIAIS ENTRE AS CLASSES DOS NÍVEIS E DA CADEIA DE COMANDO, AGENTE PERCEBE QUE ALGO PRECISA SER FEITO PARA REPARAR SUPOSTAS DISTORÇÕES.





























E ai caros leitores, algo não bate, como pode dentro da mesma instituição haver diferenças tão claras para remunerar o servidor.

INFELIZMENTE temos gente encarando cargos em comissão como uma solução para levar mais um punhado de dinheiro para gastar nas filas de compra de remédios. Pois a batida OU O RÍTMO imprimido aos servidores da GM Rio, não os dará condições de uma aposentadoria menos sofrida.

Distorção do salario precisa ser resolvida.