7 de agosto de 2015

Os Gestores de carreira das Guardas, precisam de espaço para articular as mudanças de amanhã

José Luis da Silva Alves
23 anos na Guarda Municipal RJ;
Nível Superior em Gestão de Segurança  Empresarial;
Pós graduado em Administração Pública;
Pós graduando em Processo Decisório em politicas públicas;
É Presidente da Associação dos Subinspetores RJ;
Ocupou por três vezes assento no Conselho Nacional das GMs;
Um dos fundadores da área de ensino da GM Rio;
É Subdiretor de Ensino da academia de ensino da GM Rio;
É especialista em Procedimento Operacional Padrão. 


Saudações Azul Marinho a todos os leitores e colaboradores de nosso Blog.

Estamos com a distancia de um ano da data de mudanças profundas nas administrações das Guardas Municipais existentes neste País.  Vemos com muita positividade, as diversas mobilizações do Guarda Municipal em prol do despertar dos Prefeitos que ainda estão meio que sonolentos com relação a implantação da Lei 13022.   Diversos eventos vem acontecendo como:
fóruns, seminários, marchas, atos públicos e outros. O Guardão de uma forma geral, vem se envolvendo e dando uma parcela de contribuição grande neste processo de fortalecimento para a implantação da lei 13022.

Gostaríamos de ressaltar que sempre que temos a oportunidade, questionamos, sobre como tem participado a cadeia de comando de carreira das Guardas Municipais, neste processo. Sempre usamos como exemplo a Polícia Militar, que através de sua cadeia de comando, vem sempre buscando alternativas para oxigenar a imagem da instituição e também se ramificam por todos os setores do estado e município, dando um poder de articulação imenso a esta instituição.

E a cadeia de comando das Guardas oque tem feito? Sabemos que os planos e metas estipulados são assoberbadores e acabam envolvendo os Gestores por inteiro, mas, falta menos um ano para grandes mudanças estruturais na gestão das Guardas Municipais, por isso precisamos preparar nossos gestores para a grande responsabilidade, administrativa, política e estratégica que vem por ai.

O cenário dos fóruns, seminários e encontros para discutir e aumentar o capital intelectual, carece de direcionamento voltado aos integrantes das cadeias de comando, gestores, lideranças e formadores de opinião.