22 de maio de 2015

A SOCIEDADE NECESSITA DE UMA POSTURA DIFERENCIADA DA GM RIO FRENTE AOS PROBLEMAS DE SEGURANÇA DA CIDADE

O ocorrido com um Médico na ciclovia da Lagoa,
onde menores infratores, visando inicialmente roubar sua bicicleta e depois no decorrer da ação, lhe perfuraram por diversas vezes com golpes de faca, o levando a morte. Demonstra a ineficiência do Governo estadual em prover a segurança do cidadão.

Mas se nos aprofundarmos dentro deste trágico episodio, fica impossível não fazermos alguns questionamentos:

Só a Polícia Militar poderia evitar este trágico acontecimento na ciclovia da Lagoa?

Mesmo que tenhamos uma resposta repentina destinando a Polícia Militar como única instituição que pudesse impedir esta tragedia, ainda perguntaríamos: Teria mesmo a polícia, condições de estar patrulhando logradouros públicos de forma diuturna, e também atender as milhares de demandas advindas do processo de pacificação do Estado do Rio de Janeiro?

É claro que não é uma exclusividade da Polícia Militar, adotar medidas para evitar tragédias como essa no estado do RJ e nas cidades que compoem o estado.  Focando nosso debate, sabemos que a Prefeitura  pode e deve adotar medidas que diminuam o leque de opções a falta de segurança das pessoas. Estamos falando de melhora de iluminação, limpeza de terrenos, projetos de inclusão social e claro que não podemos deixar de falar da tropa de Guardas Municipais que está sob as ordens do Prefeito Eduardo Paes.

Hoje as Guardas Municipais tem uma legislação federal que da aos Prefeitos condições totais de equipar e respaldar suas Guardas para a realização de um trabalho de segurança de proximidade muito mais eficaz junto a população.

Temos sim problema de identidade, temos sim dificuldades e precisamos de ajuda, mas indiscutivelmente nossa especificidade é trabalhar com foco no cidadão, priorizando sua melhoria de qualidade de vida e realizando um trabalho de proximidade.

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro,
com equipamento necessário, com legislação apropriada e treinamento, pode melhorar a segurança de muitas áreas urbanas da Cidade do Rio de Janeiro.

Na condição de Presidente da Associação dos Subinspetores, falo com propriedade e com a certeza de que nossa classe comunga com está afirmação e por isso temos a autonomia para articularmos