26 de outubro de 2014

Não vamos mais deixar ninguém falar por nós neste País.


Todos nós Guardas Municipais do Brasil, nascemos dentro de um sistema de dominação. Lutamos muito para mudar este cenário e ainda continuamos lutando para sermos capitães de nossas almas e Senhores de nossos destinos. 

Por sermos municipalizados e por existirem milhares de Municípios  em nosso Brasil, temos uma grande dificuldade de romper as barreiras impostas por esta pluralidade  e pela autonomia que cada Chefe do Executivo Municipal tem em suas mãos para Governar. 

Os politiqueiros que são usados e manobrados por grupos que de forma inescrupulosa vem se apoderando da Segurança Pública visando transforma-la em um império, um negócio Privado, passando seu controle entre seus feudos, interferem diretamente em nosso processo de avanço institucional.

Nos da Guarda do Rio de Janeiro, não somos melhores e nem piores que nenhuma Guarda deste País, não somos santos e nem  somos demônios, erramos sim, mas também temos acertos. Sabemos de nossas dificuldades, e conhecemos a força de nossos algozes que como nós, povoam uma megalópole totalmente atípica, por sua geografia, sua política, sua sociedade, e sua insegurança. 

Em meio a isso tudo,  Lutamos contra o domínio das Polícias, lutamos contra os interesses políticos, lutamos contra os arranjos e comprometimentos feitos por traz dos bastidores, lutamos contra o desconhecimento e a falta de apoio da população, lutamos contra nossas vaidades, contra nossa falta de união e lutamos contra a nossa falta de representatividade.

Durante muito tempo nos especializamos em executar e nunca negamos dividir o que produzimos com nossa execução, nossas portas sempre estiveram abertas para todos os irmãos da Legião azul Marinho, e agora nós precisamos da força de união de todos os irmãos, pois  chegou a hora de sermos, mais gestores e menos executores.

Muita coisa nos falta, não só a nós, mas a muitas Guardas de todo este Brasil, mas; o que com certeza não falta a nenhum Guarda Municipal é a vontade de mudar,  e a coragem para juntos buscarmos  a mudança.  

As calças de meninos e meninas não dão mais em nós, pois somos Homens e Mulheres, somos pais e mães de família, cobertos de muita vergonha , pudor,personalidade e caráter.

Os discursos tiranos e impiedosos, carregados de técnicas persuasivas e oratórias descomprometidas com seus resultados, que  dizem que nos falta vergonha na cara, na verdade nos envergonham ao ver e não entender qual o verdadeiro interesse em tripudiar sobre nossas deficiências, na nossa sofrida caminhada. Pessoas que proferem estes discursos,  sem vestir nossos uniformes,  e que se aproveitam do conforto de não estarem sobre a pata esmagadora de um sistema inescrupuloso que usa de diversas formas, para amordaçar o nosso grito de LIBERDADE! podem ser comparados a cometas que sempre passam causando espanto e depois somem. 

Nós Guardas Municipais, não queremos a tribuna, não queremos ser exaltados, não queremos projetar nossos projetos pessoais. Nós queremos simplesmente ser tratados com respeito, dignidade , como Homens e Mulheres, como País e Mães de família e como PROFISSIONAIS, pois nada e em tempo algum ira justificar que um suposto aliado ou que um ferrenho adversário venha nós depreciar. Aceitamos Criticas sim, mas depreciar e nós humilhar jamais!!!!

Que possamos  refletir com muita sabedoria e que o resultado desta reflexão seja um avançado processo de unificação para a maior luta de nossa vidas pela conquista de nossa LIBERDADE!!!!

Meu nome é S.Alves, sou  da Guarda Municipal do Rio de Janeiro e tenho orgulho de cada passo que conquistamos ao lado dos GMs mais novos dos mais antigos, e dos que estão na cadeia de comando, durante os nossos mais de 20 anos de existência.

Um grande abraço a todos, que Deus nos ilumine e estejamos juntos no dia da nossa vitória.