29 de janeiro de 2014

Nós estamos sinalizando isso a um bom tempo, só que nínguem deu ouvidos.

 
Está instaurada a crise na GM Rio. O velho ditado, "guerra anunciada só perde quem quer" cai bem para esse momento. Alguns índices já abordados aqui por nós, deixava claro que a crise institucional estava para acontecer. Veja alguns fatos que foram ingredientes para o início da crise:
 
- Piso salarial configurando entre os mais baixos a     nível nacional;
- Falta de perspectiva futura na GM Rio;
- Falta de uniforme;
- Alta demanda de missões;
- Demora na execução da progressão e promoção funcional;
- Retirada dos equipamentos menos letais;
- Falta de justiça no pagamento de cotas e horas extras nos serviços prestados pelo escalão de Comando;
- Escala sacrificante;
- Precariedade das Instalações;
- A falta de um plano de cargos e salários, com vistas a corrigir erros que causaram a estagnação de diverssos Servidores;
- O sucateamento das UOPs;
- A falta de vontade política na resolução dos problemas institucionais como a mudança na Lei Orgânica e criação de um plano de cargos e salários por uma nova Lei.
 
Precisamos agora de uma unificação, precisamos unir as forças para negociar com efetividade, e agir com personalidade de uma categoria que está pronta para ser "senhor de seu destino e capitão de sua alma" para sairmos dessa crise. Ninguém está discartado desta luta, mas cada um precisa saber a sua posição e a sua hora certa de atuar.
Sairemos vencedores, por a GUARDA MUNICIPAL do RIO de JANEIRO tem seu valor, e nós GUARDAS MUICIPAIS SOMOS VALOROSOS.