26 de novembro de 2013

Algumas palavras para a reflexão de nossos GM6/GM5/GM4/GM3.

 
Muito temos ouvido falar, visto e sentido a dificuldade de nossa Instituição GM Rio em diversos pontos. Muito temos observado que de certa forma existem trabalhos sendo implantados e implementados para a busca de melhorias em diversas esferas de nossa Instituição. Muito temos cumprido e executado as DIVERSAS missões, ordens e normas. Mas, pouco temos nos posicionado quanto o que queremos para a nossa Instituição.
Nós do Comando de Carreira devemos observar que estamos genuinamente atuando na condição de executores, e que estamos produzindo poucos artigos ou propostas  originariamente de Guarda Municipal. Entendemos que em todo meio profissional, existem amadores, imaturos, descompromissados, individualistas, fracos, mas não se pode generalizar. Temos registrado na Historia de nossa Instituição,vários feitos de sucesso como por exemplo o GEP,
que foi arquitetado e produzido por nós, sendo mais preciso, pelo hoje GM3 João Bosco. A transformação para o Regime Estatutário, que foi carreado pelo MTU, Presidido pelo hoje Inspetor Valney, com o Apoio do Conselho de Graduados e Sisguario. Isto comprova que podemos sim começar a ser "Capitão de nossas almas e Senhores de nosso destino".
 
Aproveitamos esta postagem, para mencionar um fato que vem causando muito descontentamento.  A imposição da escala para Inspetores, Subinspetores e em breve, Líderes também.  Basta uma rápida leitura explorativa no Decreto nº 14503/95, e na Lei 94/79 Art.119. Que encontraremos a falta de base legal para a construção desta escala da forma que vem sendo feita.  A ação de IMPOR, contextualiza a ilegalidade da escala que hoje impera no meio dos Inspetores, Subinspetores e em breve,Líderes. 
Entendemos que as ordens devem ser cumpridas, mas não podemos esquecer que as Leis também devem ser cumpridas.
As classes aqui citadas, vem trabalhando nem menos nem mais que as outras classes que compoem a nossa grandiosa e imponente GM Rio, mas vem trabalhando muito e por isso, precisam ter o seu local de destaque no processo evolutivo da Instituição.
 
Sabemos que a agenda de nosso Inspetor Geral é bastante concorrida, pois estamos a mais de 20 anos acompanhado, trabalhando junto e observando a rotina das Gestões que passam por nossa Instituição, mas também sabemos o quanto nosso Comandante é receptivo e aberto ao diálogo. Por isso  em breve estaremos solicitando uma reunião com o Inspetor Geral Leandro Matieli e uma comissão paritária da Cadeia de Comando Guarda, para que possamos ter acesso as reais informações sobre nosso futuro e como sempre fizemos, chegar a uma solução mais adequada que não afete a nossa Instituição e nem ao Ser Humano Servidor.
 
A Presidência da Associação dos Subinspetores, espera que as palavras acima sirvam para uma boa reflexão.