7 de maio de 2013

Laerte Lima da Exemplo de Estadista, e maturidade Política.



Caros amigos visitantes e leitores de nosso Blog. Gostaria de compartilhar com todos, um exemplo claro de como podemos nos posicionar, apresentando nossas visões, ideias e até opiniões sobre pessoas, de uma forma inteligente. Quero ressaltar que mais valoroso do que expor ideias e colocações, e ter a percepção de quando devemos rever nossas palavras e concepções, quando temos que embasados na verdade defender pontos e pessoas. Aproveito aqui para parabenizar o Companheiro Laerte Lima pela atitude honesta e Humilde em usar este grande mecanismo de comunicação para de forma coerente e extremamente superior e desenvolvida realizar pedidos de desculpas. Realmente, merece todo o respeito de todos COMPANHEIROS DE LUTA da GM Rio. 
Dialogo realizado no facebook  no Domingo dia 05/05/2013
Não colocamos a imagem do companheiro Laerte Lima
por não termos tido tempo de pedir a sua autorização.

João Alexandre disse:
PRECISAMOS DE PELO MENOS UM LÍDER POR ESTADO QUE PENSE ASSIM COMO O SUB INSPETOR ALVES (GM/RIO), PARA QUE POSSAMO COMEÇAR A PENSAR UM CAMINHO INTELIGENTE PARA O PROBLEMA QUE VIVE AS GUARDAS MUNICIPAI NO BRASIL. Parabéns pela brilhante colocação, prezado Ale Alves, não faria melhor.
Parte superior do formulário
Ale Alves Nada faria se não tivesse alguem precedendo, guiando e liderando. Grato pelos ensinamentos que vem me dando e pelo apoio incondicional ofertado.

João Alexandre Santos Estamos juntos irmão Ale Alves, essa luta é de todos nós.

Creuza Souza Silva BOM DIA TODOS VCS CONCORDO PROFESSOR PLENAMENTE

Laerte Lima Não concordo com o sub inspetor Alves no que tange os caminhos que as guardas devem seguir. Também não concordo com a postura pedante dele!
João Alexandre Santos Prezado Laerte Lima, nosso debate não se vncula à simpatia de A ou B e sim na forma como a pessoa humana conduz o seu trabalho. Muita gente também não gosta de mim ou do Ale Alves, ou até de você mesmo; mas concordam com o desenvolvimento de nossas ações. Peço-lhe a especial gentileza de limitar a vossa intervenção nos pontos onde "no texto" você não concorde e por favor nos apresente um texto de sua autoria com as adequações necessárias para que haja um melhor desenvolvimento das idéias. Estamos aguardando o vosso envio. Grande abraço e excelente

Laerte Lima A forma de condução do trabalho de um profissional da área de segurança se vincula à simpatia sim! Um agente de segurança pública que não consiga interagir com outras pessoas de forma a se fazer entender e, principalmente, de forma empática, deve repensar o seu jeito de agir. Conheci o Subinspetor Alves no I Congresso das Guardas Municipais em Macaé, estávamos eu e o Classe Distinta Naval da GCM de SP, o CD Naval fez uma pergunta ao Sub Alves e este respondeu de forma bem pedante, depois disto passei a observar sua conduta no restante do Congresso e reparei que não era muito diferente da primeira impressão que tive.
Trabalhei na extinta IrFisc da GCM de SP, inspetoria que se encarregava da fiscalização e apreensão de mercadorias ilegais pelo centro da cidade. Era um trabalho muito mau visto pelos munícipes e, claro, pelos ambulantes. Pude aprender que mesmo fazendo um trabalho que aos olhos dos outros cause indignação, podemos amenizar ou até mesmo neutralizar as animosidades tendo uma conduta simpática, aprendi isto na minha vida, tanto social como profissional, e pude constatar que fui melhor entendido em ambas as situações fazendo uso da atitude acima citada . Discordo também do Sub Alves quanto à sua postura frente a se armar a GM, ao que me consta o Sub Alves se mostra contrário a isto. Minhas experiência na GCM de SP me mostrou a impossibilidade de se atuar na segurança pública sem fazer uso da arma de fogo. No congresso de Macaé pude perceber que há um racha na GM Rio sobre a questão de uma guarda armada, por um lado o Insp Valnei, favorável a se armar a guarda e, do outro, o Sub Alves contrário a esta ideia.

João Alexandre Santos Ale Alves, parece que um colega não concorda com suas colocações. Reflita ai.

João Alexandre Santos O colega deve estar equivocado mesmo, pois talvez não esteja a par do andamento dos trabalhos do GM Alves à repeito de SE ARMAR SIM às GMs do RJ. Quanto ao fato da "impressão" que o nobre colega Laerte Lima possui, deve ser algo que deva ser tratado entre as partes ou ainda reservado às reflexões pessoais, senão a pessoalidade nos afasta das reflexões maiores. Vejo que o colega possui uma boa redação, coerência e coesão textual, além de profunda experiência. Nos brinde então com um artigo de sua autoria sobre essa problemática, que aliás, foi a origem desta postagem. Grande abraço Laerte Lima e Ale Alves.

Laerte Lima Agradeço ao nobre professor pelos elogios tecidos à minha redação. Quanto as minhas experiências elas se resumem ao que compete à base de toda GM, onde temos que agir com pouco tempo para se planejar. Artigos pertencem à esfera acadêmica, por tanto os deixo ao Sr, na qualidade de professor e acadêmico de direito e aos que possuem cargos de comando e visibilidade política. Atenho-me a fazer alguns comentários, quando achar que devo, observando a boa educação e respeitando o art. 5º inciso IV da nossa Carta Magna. Gosto muito de seus postados, professor, e espero futuramente poder participar de algum curso ministrado pelo Sr. Forte Abraço!

João Alexandre Santos A casa é sua Larte Laerte Lima, nós sempre vamos divergir, mas jamais nos dividir grande abraço.

Ale Alves Laerte Lima Boa noite: Me parece que seu contato comigo foi mais próximo no congresso de Macaé, que na verdade não foi o 1º congresso e sim o 17º congresso Nacional de Guardas. Percebo também que seu 1º contato comigo não foi bem um primeiro contato, pois nem dialogamos e nem trocamos ideias. Na verdade seria bom se viesse na sua memoria qual a pergunta que o Companheiro de luta Naval me fez, e qual a resposta que lhe dei. Com certeza tudo foi de cunho profissional e institucional.

Ale Alves Com relação a minha posição com relação ao armamento, fico muito a vontade para dizer que o amigo está equivocado. Basta entrar no wwwsubinspetores.blogspot.com que verá como venho atuando lado a lado do Companheiro de luta Valney, nas movimentações pela aquisição do salvo conduto para que tanto os Guardas da GM Rio como os Guardas das Guardas do Estado do Rio, possam usar suas armas para a defesa de suas vidas.
Ale Alves Agora desafio a qualquer um companheiro que prove que um dia fui contra o uso de armas pelas Guardas Municipais.

Ale Alves Gostaria de citar que muitas das vezes para se tomar decisões principalmente que vão nortear a vida de milhares de profissionais, não podemos nos dar o luxo de ser simpáticos, pois devemos focar a solução. O segredo do sucesso não sabemos, mas do fracasso é sermos simpáticos para todos.

Ale Alves E só para terminar, no 19º, 20º e 21º, tive contato com vários Guardas e várias Guardas, não só conversando, mas sim interagindo e sempre buscando melhores rumos para nossa categoria, situação esta que não reflete o discurso feito aqui neste veículo de...

Ale Alves  Um grande abraço a todos, e o objetivo é falar e dialogar sobre projetos e estratégias e não falar das pessoas.

Laerte Lima Prezado Subinspetor Alves, boa noite. A respeito do uso de arma de fogo pelos integrantes da GM do Rio e sua posição a respeito eu peço minhas desculpas, talvez eu tenha julgado de forma errônea sua posição a este respeito, peço minhas sinceras desculpas. Quanto ao ser simpático acredito que já deixei minha posição a respeito bem explicada. Forte abraço ao Sr.

Ale Alves Ok, desejo o mesmo a ti. E parafraseando O Companheiro Lutador Naval, a luta não para aqui. Estamos em estados diferentes, mas estamos juntos no mesmo ideal.